Governo de Minas
 
Você está em: Página Inicial / Publicações

Custos de Produção -> Custo de Produção Mamona Safra 2012/2013


Baixar versão em PDF

Custo de Produção da Mamona Consorciada com Feijão no Ceará para a Safra 2012/13.

A análise do custo de produção da mamona foi realizada a partir de dados da agricultura familiar no estado do Ceará, informado pela Secretaria de Desenvolvimento Agrário desse estado. O custo faz referencia a três sistemas de produção que diferenciam pelo nível de produtividade: 600 kg/ha; 1ton./ha e 1,2ton./ha.

Na Tabela 1 estão detalhados os principais componentes do custo de produção da oleaginosa para nível de produtividade, assim como o custo total. Destaque para o preparo do solo que é inexistente no sistema com menor índice de produtividade, entretanto, esse sistema apresenta maior custo com operações manuais. 

Tabela 1- Discriminação dos custos de produção de mamona (em R$/ha) na agricultura familiar no Ceará na safra 2012/13. 

Produtividades esperada ton./ha

1,2 t/ha

1 t/ha

0,6 t/ha

Preparo do solo

R$ 120,00

R$ 120,00

R$          -

Plantio

R$ 60,00

R$ 60,00

R$ 60,00

Operações Manuais

R$ 450,00

R$390,00

R$ 630,00

Sementes (Mamona+Feijão)

R$79,60

R$79,60

R$ 79,60

Insumos

R$345,00                 

R$320,00                 

R$ 60,00

Colheita e transporte

R$150,00                 

R$120,00                 

R$90,00    

Descascamento secagem e ensaque

R$90,00                    

R$ 60,00

R$60,00

Total

R$1.294,60              

R$1.149,60               

R$ 979,60

Fonte: Secretaria de Desenvolvimento Agrário do Ceará. 

O preparo do solo é importante, pois a planta da mamoneira é exigente em nutrientes minerais, corresponde a aproximadamente 10% do custo total de produção para os dois sistemas com níveis de produtividade de 1,2 e 1,0ton./ha. No entanto, para o sistema com menor produtividade, não há preparo do solo. A operação de plantio corresponde a 5% do custo total. As operações manuais são diferentes para cada nível: no nível de 600 kg/ha corresponde a aproximadamente 65%, no nível 1,0 ton./ha corresponde a 33,94% e no nível de 1,2 ton./ha corresponde a 34,75% (Figura 1). Essa diferença de participação é devido à utilização de tração animal para os sistemas com maior produtividade, uma vez que a capina é realizada manualmente no sistema com menor tecnologia.

O custo com sementes, para mamona e feijão, para todos os sistemas são semelhantes, já que o cultivo da mamona geralmente é feito em consórcio, diferenciando somente no percentual de participação no custo total. A utilização dos insumos também apresentam características distintas para os sistemas.

A Figura 2 mostra a composição de cada custo a partir de uma comparação entre os componentes de cada nível de produtividade esperada.

No sistema com menor produtividade praticamente não faz uso de insumos mais específicos, há apenas controle de formigas e insetos, os sistemas com maior produtividade diferem quanto ao uso adubo orgânico e químico (Tabela 2). O investimento em insumos eleva a produtividade, principalmente quando é aplicado fertilizante. Em baixos níveis de produtividade (0,6 t/ha) não é utilizado nenhum tipo de fertilizante. 

Tabela 2- Insumos utilizados em diferentes níveis de produtividade na cultura da mamona, no Ceará na safra 2012/13. 

 

Insumos

Custo despendido por produtividade esperada

0,6 (t/ha)

1,0 (t/ha)

1,2 (t/ha)

Formicida

25,00

25,00

25,00

Adubo químico

0

0

270,00

Sacaria

0

10,00

15,00

Inseticida

35,00

35,00

35,00

Adubo Orgânico

0

250,00

0

Total

60,00

320,00

345,00

                                                                                                                                                     

Fonte: Elaborado pelos autores.

Na Figura 3 a composição dos insumos em cada nível produtivo é exposta para cada sistema. Para o nível de produtividade mais baixo, os insumos utilizados são basicamente formicida e inseticida, ocorrendo à prática de adubação orgânica e/ou mineral nos sistemas mais produtivos. Nesses dois sistemas de produção, os fertilizantes compõem a principal parcela dos gastos com insumo.

A Tabela 3 apresenta a receita e a margem bruta em cada nível de produtividade. Considera-se também a produtividade do feijão assim como seu incremento na receita, pois os custos envolvidos são também para a produção de mamona e dessa última cultura. A margem bruta é maior no nível de maior produtividade esperada, sendo que o cenário de 0,6 t/ha obteve uma margem bruta 86% menor em relação a essa, enquanto o cenário intermediário apresentou uma margem 22% menor em relação ao cenário de 1,2t/ha. O investimento em maior nível tecnológico, com uso de insumos adequados mostra que o retorno financeiro em Mamona é proporcional ao investimento. 

Tabela 3- Receita total e Margem Bruta esperada nos Três cenários no consórcio Mamona/feijão no estado do Ceará na safra 2012/13.

Nível de produção (t/ha)

 Preço Médio Mamona (R$/Kg)

Produtividade Feijão (Kg/ha)

Preço Médio Feijão (R$/Kg)

Receita Total (R$/ha)

Margem Bruta (R$/ha)

0,6

 R$         1,20

350

 R$        1,00

 R$ 1.070,00

 R$          90,40

1,0

 R$         1,20

450

 R$        1,00

 R$ 1.650,00

 R$        500,40

1,2

 R$         1,20

500

 R$        1,00

 R$ 1.940,00

 R$        645,40

 

 

Fonte: Elaborado pelos autores.

 


 
Vila Gianetti 25. Campus Universitário – Viçosa, MG - Telefone: (31) 3899 2185
Skype:
centro.referencia.biodiesel - E-mail: contato@biomercado.com.br
© 2013 - BIOMERCADO - Centro de Referência da Cadeia
de Produção de Biocombustíveis Para Agricultura Familiar