Governo de Minas
 
Você está em: Página Inicial / Publicações

Custos de Produção -> Custo de Produção Soja 2012/2013


Baixar versão em PDF

         Análise do custo de produção da soja para safra 2012/2013: Comparativo entre a produção do Rio Grande do Sul e do Mato Grosso

Os custos de produção (Tabela 1) são referentes à safra 2012/2013 e foram fornecidos pelas cooperativas de agricultura familiar dos estados do Mato Grosso e do Rio Grande do Sul.

Pode-se constatar que os custos de produção da soja para a safra atual foram maiores no Rio Grande do Sul e menores no Mato Grosso. O que reflete as condições mais favoráveis à produção da oleaginosa neste estado é o menor gasto com operações mecânicas e com fertilizantes. As cooperativas do Rio Grande do Sul não forneceram os gastos com mão de obra familiar.

As operações mecânicas e o custo com fertilizante no Rio Grande do Sul são menores em relação ao Mato Grosso, 26% e 55%, respectivamente (Tabela 1). O uso do fertilizante NPK (00-20-20) foi maior no Mato Grosso devido a maiores deficiências que os solos desse estado apresentam em relação aos do Sul. Assim como o custo de aquisição que também contribui para essa diferença, uma vez que o saco de 50 Kg no Mato Grosso é aproximadamente 17% maior em relação ao Rio Grande do Sul, exposto na Tabela 2. No Rio Grande do Sul foi efetuada calagem, o que não foi realizado no Mato Grosso segundo os dados recebidos das cooperativas.

Tabela 1- Discriminação dos custos de produção de soja (em R$/ha) na agricultura familiar por estado na safra 2012/13

 

Descrição

 Custo de produção por estado (R$/ha)

 
 

RS

MT

 

Operações mecânicas

 R$            140,00

 R$             189,15

 

Defensivos

 R$            269,13

 R$             297,84

 

Sementes (55 kg)

 R$            128,24

 R$             100,30

 

Fertilizante (0-20-20)

 R$            272,45

 R$             593,55

 

Calagem

 R$            240,00

 R$                      -  

 

Mão de obra

R$                     -

 R$                  3,24

 

Total

 R$        1.049,82

 R$         1.184,09

 

Fonte: Cooperativa de agricultores familiares do Rio Grande do Sul e do Mato Grosso.

 

 

Tabela 2- Quantidade e preço dos fertilizantes utilizados nos estados de Mato Grosso e Rio Grande do Sul

 
 

Fertilizantes (00-20-20)

 

Estado

t/ha

R$/t

Total R$/ha

 

MT

0,45

1.319,00

593,55

 

RS

0,25

1.089,80

272,45

 

Fonte: Cooperativa de agricultores familiares do Rio Grande do Sul e Mato Grosso

 

 

A Figura 1 mostra que o custo com sementes no Rio Grande do Sul foi, aproximadamente, 28% maior que o Mato Grosso. Em comparação, os custos de produção disponibilizados pela Companhia Nacional de Abastecimento - CONAB[1] na agricultura convencional indicam que as sementes no sul foram 21% menor em relação ao estado do Centro-Oeste.

A Figura 2 mostra que o custo mais representativo dos defensivos agrícolas foi com fungicida, explicado pelo alto custo unitário. Os herbicidas e fungicidas são usados em maior quantidade no MT, o que pode explicar a diferença no custo em relação ao RS. As maiores diferenças observadas foram com óleo mineral e adjuvante (produtos usados para melhor eficácia na aplicação), sendo que no RS é 56% menor devido a menor utilização e menor preço. Por outro lado, o custo com tratamento de sementes é 46% menor no MT, devido à unicidade de produto no tratamento, enquanto que no RS a combinação de dois produtos de valor mais elevado é utilizada.

A Figura 3 mostra a importância dos fertilizantes na cultura da soja, que compõem cerca de 50% do custo em ambos os estados, considerando a calagem no Rio Grande do Sul. As operações mecânicas no MT e no RS apresentaram participação de 16% e 13,3%, respectivamente, no custo total dos estados, essa diferença é em decorrência ao menor custo com operações de plantio, tratos culturais, pulverizações e preparo do solo menos intenso, devido a gradagem utilizada no estado do MT. O uso da mão-de-obra é relativamente baixo devido as operações mecanizadas de colheita e plantio de soja, em ambos os estados foram utilizadas somente no tratamento e sementes. 

A Tabela 3 apresenta a receita e a margem bruta esperada em ambos os estados por hectare. O preço médio pago ao produtor familiar no Mato Grosso foi cerca de 2% menor em relação ao preço pago ao produtor gaúcho. Considerando uma produtividade de 3,5 ton./ha em ambos estados, nota-se que margem bruta é 9% maior no Rio Grande do Sul, demonstrando maior rentabilidade para o produtor deste estado.

Tabela 3- Receita total e margem bruta esperada nos estados de Mato Grosso e Rio Grande do Sul

 

Estado

Produtividade (Kg)

Preço médio saca 60 Kg

Receita Total

Margem Bruta

Mato Grosso

3.500

R$ 54,43

R$ 3.175,08

R$ 1.991,00

Rio Grande do Sul

3.500

R$ 55,50

R$ 3.237,50

R$ 2.187,68

Fonte: Elaborado pelos autores a partir de dados das Cooperativas de Agricultores Familiares.

 

 

 



[1] Disponível em: http://www.conab.gov.br/.

 
Vila Gianetti 25. Campus Universitário – Viçosa, MG - Telefone: (31) 3899 2185
Skype:
centro.referencia.biodiesel - E-mail: contato@biomercado.com.br
© 2013 - BIOMERCADO - Centro de Referência da Cadeia
de Produção de Biocombustíveis Para Agricultura Familiar